Conjuntivite, o que é e como evitar

09.04.2015

Olhos vermelhos e lacrimejantes, pálpebras inchadas e coceira são os sintomas mais comuns da Conjuntivite. A doença acomete grande parte da população mundial em algum momento da vida, causando grande irritação e transtorno para o paciente infectado.

A Conjuntivite é a inflamação da conjuntiva, membrana transparente e fina que reveste a parte da frente do globo ocular e o interior das pálpebras, afetando um dos olhos ou os dois. Ela pode ser aguda ou crônica, permanecendo por até duas semanas causando incômodo e mal estar. Suas causas englobam reações alérgicas a poluentes ou substâncias irritantes (como fumaça, produtos de limpeza, maquiagem.), assim como a infecção por vírus e bactérias (neste caso a conjuntivite é contagiosa). A mais comum é a Conjuntivite primaveril, ocasionada pelo pólen espalhado no ar.

Além dos sintomas mais comuns, a sensação de areia, secreção purulenta, secreção esbranquiçada, coceira, fotofobia, visão borrada e pálpebras grudadas estão incluídas quando há o surgimento da doença.

Para o tratamento é preciso determinar qual é o agente causador: Para a comjuntivite do tipo Viral não existem medicamentos específicos; a Bacteriana inclui a indicação de colírios antibióticos que devem ser prescritos por um médico. A conjuntivite alérgica não é transmissível e geralmente afeta indivíduos propensos à alergia, como os portadores de rinite e bronquite e também pode ser causada por medicamentos (efeito adverso),  sendo a melhor forma de tratamento a suspensão do uso do remédio causador da doença. Fora isso, é de extrema importância o cuidado com a higiene, que ajuda a controlar a contaminação e o desenvolvimento da Conjuntivite. É fundamental lavar os olhos e fazer compressas com água gelada ou com soro fisiológico.

Para se prevenir o contágio da doença, evite aglomerações ou piscinas de academias e clubes, lave com frequência o rosto e as mãos e não coce os olhos, principalmente em caso de irritação.