Fascite plantar: saiba mais sobre uma das patologias mais comuns que acometem o pé

10.01.2018

A fascite plantar é uma das causas mais comuns de dor na planta do pé, especialmente na região do calcanhar. A condição envolve a inflamação da fáscia plantar, um ligamento com tecido fibroso que abrange toda a parte inferior do pé, atravessando a sola do pé desde o osso do calcanhar - chamado osso calcâneo, até os dedos dos pés.

Em circunstâncias normais, a fáscia plantar atua como um amortecedor, que age como uma espécie de elástico. Quando andamos, ela se tensiona, diminuindo a pressão que os dedos sofrem com o peso do corpo.

A tensão e o esgarçamento da fáscia ocorrem frequentemente por causa da lesão por esforço repetitivo, mas as causas são diversas. Além de mais comum em corredores, pessoas que estão acima do peso e aqueles que usam sapatos com suporte inadequado têm um risco aumentado de fascite plantar.

 

Veja também:

 

Sintomas da fascite plantar

Geralmente, as dores são como pontadas e rigidez na sola do pé e acontecem com os primeiros passos logo pela manhã, ao levantar-se depois de permanecer sentado por algum tempo ou ao subir escadas. Pode ser também desencadeada por longos períodos de pé ou por subidas e caminhadas em superfícies duras, como asfalto.

A dor tende a piorar no final do dia depois de um longo período em pé ou caminhando e principalmente, após o exercício, portanto praticantes de atividades físicas devem evitar exercícios que impactem a região.

Ocorre normalmente só em um pé, mas pode ser bilateral.

 

Fatores que podem aumentar o risco de desenvolver fascite plantar

  • - Idade – tem maior ocorrência em pessoas de 40 e 60 anos, que acumularam ao longo da vida microtraumas na fáscia plantar;
  •  
  • - Determinados exercícios – atividade física que coloca muita pressão sobre seu calcanhar e sola do pé — tais como corrida, caminhada, balé, dança, levantamento de peso, atividades de salto e/ou pulo  — pode contribuir para um início precoce;
  •  
  • - Obesidade - peso em excesso causa uma pressão extra na fáscia plantar;
  •  
  • - Formato do pé – pé chato, com arco alto ou com padrão alterado de marcha – como pisar com o pé torto -  pode afetar a forma como o peso é distribuído quando você está de pé e colocar pressão adicional na fáscia plantar;
  •  
  • - Calçados inapropriados – uso excessivo de salto alto e uso de sapatos apertados, largos ou desgastados;
  •  
  • - Permanecer muito tempo em pé – funções que exigem que a pessoa permaneça a maior parte de suas horas de trabalho em pé ou caminhando em superfícies duras podem causar estiramento e danificar a fáscia plantar;
  •  
  • - Medicamentos – alguns antibióticos enfraquecem os tendões.

 

Veja também:

 

A fascite plantar pode ser diagnosticada através do histórico clínico do paciente e do exame físico dos pés, no qual o médico deve procurar por sinais de lesão nos pés, pontos dolorosos e alterações anatômicas, como pé chato.

A ultrassonografia e a ressonância magnética podem ajudar no diagnóstico, pois avaliam o grau de inflamação. A radiografia do pé é solicitada quando há a necessidade de descartar outras causar para a dor, como fraturas, esporão ósseo ou artrite.

Se não cuidada, a fascite plantar pode resultar em dor no calcanhar crônica que pode vir a dificultar as atividades rotineiras.

Alguns portadores, para minimizar a dor, mudam a maneira de andar (pisada), causando problemas de joelho, quadril ou costas.

O Richet realiza exames de ultrassonografia, ressonância magnética e raios-x em sua unidade BarraShopping. Para informações, ligue: 3184-3000.