Saiba a diferença entre Dengue, Zika vírus e febre Chikungunya

03.12.2015

Os surtos de Dengue, Zika vírus e febre Chikungunya recentemente colocaram em alerta os órgãos de saúde e a população de todo o Brasil. O Aedes aegypti é o mosquito transmissor destas três doenças e também da febre amarela.

Segundo o Ministério da Saúde, No Brasil, a transmissão da Dengue vem ocorrendo de forma continuada desde 1986, intercalando-se com a ocorrência de epidemias, geralmente associadas com a introdução de novos sorotipos em áreas sem ocorrências anteriores ou alteração do sorotipo predominante. O maior surto no país ocorreu em 2013, com aproximadamente 2 milhões de casos notificados. Atualmente, circulam no país os quatro sorotipos (variedades) da doença, que identificadas pelas siglas DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4.

Os primeiros casos “nativos” da Chikungunya no Brasil apareceram em setembro do ano passado em Oiapoque, no Amapá. Antes disso, já haviam relatos de casos de pessoas que contraíram a virose fora do país. A origem do nome é africana e significa “aqueles que se dobram”, fazendo uma referência à postura dos doentes, que andam curvados por causa das dores fortes nas articulações.

O Zika vírus foi isolado pela primeira vez a partir de um macaco Rhesus (Macaca mulata) da floresta de Zika, em Uganda, em meados da década de 40, e em humanos ele foi isolado no final dos anos 60 na Nigéria. No decorrer dos anos, o vírus se espalhou para várias partes do continente africano, então chegando até a Europa, Ásia e Oceania. O vírus foi identificado em terras brasileiras por dois pesquisadores do Instituto de Biologia da Universidade Federal da Bahia depois que uma doença misteriosa começou a preocupar a população de Salvador e região metropolitana. A suspeita é de que ela tenha sido trazida para o Brasil durante a Copa do Mundo.

 

SINTOMAS

A Dengue e a Chikungunya têm sintomas e sinais parecidos, enquanto a Dengue se destaca pelas dores no corpo, a Chikungunya causa dores e inchaço nas articulações. Já a Zika se destaca por uma febre mais baixa (ou ausência de febre), muitas manchas na pele e coceira no corpo.

Dengue - O primeiro sintoma é a febre alta, entre 39° e 40°C, com início repentino e geralmente com duração de 2 a 7 dias. A febre vem acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira no corpo. Pode haver perda de peso, náuseas e vômitos.

Chikungunya - Apresenta sintomas como febre alta, dor muscular e nas articulações, dor de cabeça e exantema (erupção na pele). Os sinais costumam durar de 3 a 10 dias.

Zika - Tem como principal sintoma o exantema (erupção na pele) com coceira, febre baixa (ou ausência de febre), olhos vermelhos sem secreção ou coceira, dor nas articulações, dor nos músculos e dor de cabeça. Normalmente os sintomas permanecem de 3 a 7 dias.

 

PERIGOS e COMPLICAÇÕES

Dengue - A principal complicação é a desidratação grave, que ocorre sem a pessoa perceber. Por isso, é importante que a pessoa com Dengue beba bastante líquido.

Chikungunya - A principal complicação é a permanência, por longo tempo, das dores e inchaço nas articulações, o que pode impossibilitar o retorno da pessoa às suas atividades.

Zika - As complicações que mais chamam atenção têm sido as manifestações neurológicas como paralisia facial e fraqueza nas pernas, a exemplo do desenvolvimento da Síndrome de Guillain-Barré.

 

TRATAMENTO

Os sintomas podem ser parecidos, mas cada doença tem um tratamento diferente. Procure um médico se houver suspeita ou se você apresentar os sintomas. Evite a automedicação.

 

PREVENÇÃO

A única forma de evitar as doenças é com o combate do mosquito, através da eliminação dos criadouros do mosquito nas casas, no trabalho e nas áreas públicas.

 

Como distinguir através de exames laboratoriais?

Conforme já dito as três viroses, não apenas são transmitidas pelo mesmo vetor, como podem cursar com quadros clínicos de certa forma semelhantes, principalmente nas formas mais brandas, em que os eczemas e petéquias são os sinais mais frequentes. Em relação ao diagnóstico laboratorial, a relação de testes a serem solicitados vai depender da fase da doença em que o paciente se encontra.

 

1º ao 5º dia

Dengue: Antígeno NS1, RNA PCR1

Chikungunya: RNA PCR

Zika vírus: RNA PCR no sangue

 

5º ao 10º dia

Dengue: Antígeno NS1, Anticorpos IgG e IgM2

Chikungunya: RNA PCR, Anticorpos IgG e IgM

Zika: RNA PCR na URINA e SANGUE + Anticorpos IgG e IgM

 

Após o 10º dia

Dengue: Anticorpos IgG e IgM

Chickungunya: Anticorpos IgG e IgM

Zika: Anticorpos IgG e IgM

 

Obs:

A utilização de RNA PCR para Dengue não apresenta vantagem em relação ao antígeno NS1, além de ser mais complexo e demorado. A única justificativa seria no caso da necessidade de distinguir entre os diferentes tipos de Dengue (1 – 4).

Em casos de infecção recorrente, por outro tipo viral de Dengue, pode não haver produção de anticorpos do tipo IgM.

Após a elevação de anticorpos séricos, o RNA circulante torna-se indetectável, tanto para Dengue, como Chikungunya e Zika vírus.

Não existe ainda teste comercialmente disponível para a detecção de anticorpos contra Zika vírus.

 

Resumo, dias após o surgimento da sintomatologia.