Medicina Nuclear no Outubro Rosa

02.10.2018

Existem diferentes exames de medicina nuclear indicados para casos específicos de pacientes com câncer de mama, como o ROLL (localização radioguiada de lesões ocultas), cintilografia para pesquisa do linfonodo sentinela, cintilografia óssea e o PET-CT com FDG.

Além dos exames de imagem, a medicina nuclear também tem papel terapêutico, com o uso de Samário para o tratamento de dor óssea nos casos de metástases.

 

Cintilografia Óssea e PET-CT com FDG

Os procedimentos de medicina nuclear mais realizados nas pacientes com câncer de mama são a Cintilografia Óssea e o PET-CT com FDG.

A Cintilografia Óssea é um estudo de corpo inteiro para a pesquisa de metástases ósseas. Nas pacientes com câncer de mama, a Cintilografia Óssea é indicada quando há suspeita de metástases ósseas, como por exemplo, nas pacientes que têm dor óssea ou apresentam alteração na fosfatase alcalina, que é medida pelo sangue. Não é preciso preparo especial.  A paciente recebe inicialmente uma injeção com um radiofármaco (substância com comportamento semelhante ao contraste, porém sem efeitos colaterais) e após esta substância se distribuir por todo o corpo da paciente, são realizadas as imagens. A duração do exame no aparelho é de cerca de 20 minutos. O exame é seguro e a quantidade de radiação que a paciente recebe é muito baixa, aproximadamente metade do que é recebido ao realizar uma radiografia de tórax.

O PET-CT com FDG é um exame mais sofisticado e está indicado para pacientes com suspeitas de metástases, como por exemplo, as pacientes com alterações nos exames de sangue, que podem indicar comprometimento do fígado ou dos ossos. Ou nos casos de alterações inconclusivas em outros exames de imagem como tomografia e Raios-X.

Outra indicação importante do PET-CT com FDG é na avaliação terapêutica: o PET-CT consegue avaliar se o tratamento para o câncer está sendo efetivo ou se há necessidade de mudar o tipo de tratamento.

A Cintilografia Óssea e o PET-CT com FDG são métodos avançados em imagem para pacientes oncológicos, com aplicação inclusive nas pacientes com câncer de mama. Estes métodos permitem detectar metástases antes mesmo de serem demonstrados por exames convencionais, como tomografia, ultrassonografia e ressonância magnética. Em especial o PET-CT, que é capaz de avaliar outros órgãos, além dos que são alvo da investigação, e detectar metástases precocemente.

 

O Outubro Rosa é um movimento mundial que possui a intenção de promover a conscientização da população a respeito da prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama, e compartilhar informações sobre a doença com o propósito de aumentar as chances de cura e reduzir a mortalidade.

 

  • Dra. Silmara Regina Segala Gouveia é Coordenadora do serviço de Medicina Nuclear do Richet Medicina & Diagnóstico.

 

 

 

Autor

Dr. Helio Magarinos

Diretor Médico      CRM 52.47173-0

Diretor do Richet Medicina & Diagnóstico, Helio Magarinos Torres Filho é Médico formado pela Universidade Federal Fluminense, especializado em Patologia Clínica e Medicina Laboratorial e possui MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC. Helio Magarinos também é Membro da Sociedade Brasileira de Patologia Clinica (SBPC), da American Association for Clinical Chemistry (AACC), da American Society for Microbiology (ASM), da American Molecular Pathology (AMP) e da European Society for Microbiology and Infectious Diseases (ESCMID).

Co Autor

Dra. Silmara Regina Segala Gouveia

Coordenadora do serviço de Medicina Nuclear do Richet Medicina & Diagnóstico      CRM 52.105911-4

Médica formada pela Faculdade de Medicina de Catanduva, com residência em Medicina Nuclear pela Universidade de Campinas (UNICAMP). Título de Especialista em Medicina Nuclear pelo Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem. Membro da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear.