Painel Molecular Pneumonia: saiba mais sobre o novo exame do Richet

17.09.2020

Responsável por grande parte dos casos de internação hospitalar, as infecções do trato respiratório inferior causam elevado índice de morbidade e de mortalidade, principalmente nos grupos considerados de risco, como idosos, crianças menores de 5 anos de idade, portadores de doenças crônicas e pacientes sob uso de ventilação mecânica.

O trato respiratório inferior, também chamado vias aéreas inferiores, é formado pelos órgãos localizados na cavidade torácica: traqueia, pulmões, brônquios, bronquíolos e alvéolos pulmonares

As infeções agudas do trato respiratório inferior incluem a pneumonia (infeção dos alvéolos pulmonares), bem como infeções que afetam as vias respiratórias, como a bronquite aguda, a bronquiolite, gripe e tosse convulsa.

Em 2016, a OMS estima que as Pneumonias Adquiridas na Comunidade (PAC) tenham sido a causa de cerca de 3 milhões de mortes, em todo o mundo.

Estudos indicam que a administração de antibióticos em até 4 horas após a abertura do quadro clínico, pode reduzir consideravelmente o grau de mortalidade. Em pacientes hospitalizados com suspeita de Pneumonia Adquirida no Hospital (PAH) ou Pneumonia Adquirida por Ventilação Mecânica (PAV), o quadro torna-se ainda mais urgente, pois existe grande possibilidade de infecções por microrganismos multirresistentes, cujos graus de mortalidade são consideravelmente elevados.

 

Leia também:

 

Como é realizado o diagnóstico

O diagnóstico das infecções virais respiratórias vem apresentando uma mudança considerável com a introdução de testes mais rápidos como o GeneXpert para M. tuberculosis (agente causador da Tuberculose) e Vírus Influenza (causador da gripe), como também o painel de Vírus Respiratórios (Filmarray Biofire), que detecta a presença de material genético dos 17 vírus respiratórios mais comuns e 4 bactérias (B. pertussise B. parpertussis, M. pneumoniaee C. pneumoniae).

Recentemente, com a pandemia do Covid-19 (Sars-CoV-2), também tivemos a introdução do GeneXpert para SARS-CoV-2 que vem implementando grande agilidade ao diagnóstico em casos especiais. Entretanto, nos casos de pneumonias bacterianas, que são as mais frequentes em pacientes hospitalizados, ainda não tínhamos testes moleculares rápidos, na forma de painéis.

O novo Painel Molecular Pneumonia é capaz detectar 34 alvos, incluindo o material genético das principais viroses respiratórias e das principais bactérias envolvidas em pneumonias, além também das principais mutações que apresentam multirresistência.

A eficiência clínica do teste tem sido comprovada através de diversos estudos publicados. O novo painel demonstra um grande potencial de auxílio no combate às pneumonias, desde que seja utilizado nos casos em que haja indicação clínica precisa e estabelecendo uma boa correlação clínica-laboratório. O teste não visa substituir a utilização dos métodos tradicionais, como culturas e pesquisas diretas, mas sim como diagnóstico complementar.

O teste pode ser realizado em amostras diretas de escarro, aspirados brônquicos (coleta de secreção dos brônquios) e lavado broncoalveolar (coleta de amostras das células e microorganismos presentes nos pulmões).

O exame Painel Molecular Pneumonia está disponível em todas as unidades Richet e também pode ser realizado através da Coleta Domiciliar.