Diagnóstico e Triagem das Gastrenterites Infecciosas

27.04.2015

As gastrenterites infecciosas afetam grande parte da população mundial. A Organização Mundial de Saúde estima que ocorram cerca de dois bilhões de casos a cada ano, sendo essa a principal causa de morbidade e mortalidade de origem infecciosa e a maior causa de mortalidade em crianças menores de cinco anos.

A grande maioria das diarreias de origem infecciosa é tratável, entretanto, em muitos dos casos, o isolamento do agente etiológico não é possível. Mesmo quando são realizados os exames adequados, cerca de 30% dos casos podem permanecer sem etiologia definida. Diversos motivos podem influenciar na dificuldade em se encontrar o agente etiolo?gico, sendo a diversidade desses agentes a principal causa.

As gastrenterites infecciosas podem ter origem parasitária, bacteriana ou viral. Nos últimos anos, foram desenvolvidos testes capazes de identificar grande parte dos microrganismos envolvidos nestes processos.

O Laboratório Richet oferece testes para o diagnóstico de gastrenterites infecciosas que podem ser solicitados na forma de painel, ou ainda, separadamente:

Para Pesquisas de Parasitas:

Exame Parasitológico de Fezes
Pesquisa de Antígeno Fecal para Giardia lamblia
Pesquisa Antígeno Fecal para Entamoeba histolytica
Pesquisa Antígeno Fecal para Cryptosporidium parvum

Para Agentes Bacterianos:

Coprocultura
Pesquisa de Toxina do Clostridium difficile por método P.C.R.

Para Pesquisas Virais:

Pesquisa de Rotavirus
Pesquisa de Adenovírus
Pesquisa de Norovirus
Pesquisa Astrovirus

Os achados laboratoriais nas técnicas de microscopia, em métodos de cultivo e também em testes rápidos imunocromatográficos é dependente de uma correta coleta e preservação das amostras de fezes. Para isso os pacientes precisam estar devidamente orientados. Fatores já reconhecidos que podem afetar os exames para diagnóstico e triagem das gastrenterites são: uso de medicamentos, o intervalo da coleta entre as amostras e a apresentação dos sintomas infecciosos, o número de amostras e os métodos de conservação e transporte das mesmas.

Os testes podem ser realizados a partir da coleta de amostras de fezes frescas (para Coprocultura, Pesquisas de Antígenos fecais e Vírus) e fezes em conservantes (para exame Parasitológico de Fezes). Os frascos são fornecidos pelo laboratório que podem ser retirados em qualquer uma das unidades de atendimento do Laboratório Richet, juntamente com instruções de coleta para os pacientes.

Baixe o artigo aqui