PRO-GRP e a utilização racional de Marcadores em Tumores Pulmonares

17.06.2014

O diagnóstico de Ca. de Pulmão nem sempre é fácil de ser feito, principalmente nos estágios iniciais, havendo, muitas vezes a necessidade da utilização de métodos mais invasivos. Além do diagnóstico precoce, também é muito importante a definição do tipo histológico, que é de fundamental importância para a escolha do tratamento. Enquanto os tumores do tipo SCLC respondem melhor à quimioterapia, os do tipo NSCLC podem ter indicação cirúrgica, dependendo do estágio e subtipo. Diversos marcadores tumorais séricos têm sido utilizados neste tipo de patologia, mas, assim como ocorre em outros tipos de tumores, nenhum apresenta sensibilidade e especificidade suficientes para o diagnóstico; entretanto, a combinação de vários pode ser de grande utilidade em determinados aspectos da doença, como na hipótese diagnóstica, no prognóstico e também na definição do tipo histológico.

O Pró-GRP ou Pró-Peptídio Liberador de Gastrina (Gastrin Releasing Peptide) é o precursor do GRP, que é produzido de forma constante pelos tumores SCLC e tem sido utilizado, juntamente com outro marcador, o NSE, tanto no prognóstico e monitoramento, como no auxílio à definição do tipo histológico. Tumores SCLC produzem uma quantidade muito mais elevada de Pró-GRP do que os tumores do tipo NSCLC. Outros marcadores como o SCC, CA 15.3 e CA 72.4 apresentam níveis aumentados com mais frequência em tumores do tipo NSCLC. A utilização destes marcadores, acrescentando-se ainda outros menos específicos para a definição do tipo histológico, mas que também se encontram elevados em tumores pulmonares, como o CEA, CYFRA 21-1, CA 19.9 e CA 125, quando adaptados a determinados modelos algoritmos podem ser de grande utilidade clínica, apresentando sensibilidade e especificidade em de 85% e 90% respectivamente, para a definição do tipo histológico do tumor.

Os marcadores podem ser divididos em 3 grupos:

  1. Mais específicos de SCLC:
    • NSE
    • Pro-GRP
  2. Mais específico de NSCLC
    • SCCA
    • Ca 15.3
    • Ca 72.4
  3. Menos específico, mas que pode estar elevado em Ca. de Pulmão:
    • CEA
    • CYFRA 21-1
    • Ca 19.9
    • Ca 125

Marcador

Especificidade

NSE

SCLC

 

Pró-GRP

SCLC

 

SCCA

NSCLC

Escamoso

CA 15.3

NSCLC

Adenocarcinoma

CA 72.4

NSCLC

Adenocarcinoma

CYFRA 21.1

SCLC/NCLC

CA 19.9

SCLC/NCLC

CA 125

SCLC/NCLC

CEA

SCLC/NCLC

 

 

Pontos principais:

  1. Não existe um marcador completamente específico para NSCLC, mas a combinação de CEA, CYFRA 21.1, SCCA e CA 15.3 acrescenta alta sensibilidade.
  2. O Pro-GRP é o marcador tumoral de escolha em SCLC e o NSE é um marcado complementar.
  3. Os marcadores tumorais tem utilidade nos casos de tumores de pulmão para:
    1. Diferenciar grupos de alto risco de câncer
    2. Auxiliar na diferenciação diagnóstica
    3. Diagnóstico precoce de recorrências
    4. Monitoramento terapêutico

Referências:

1.Spira A., Ettinger D.S., Multidisciplinary management of lung câncer. N Engl J Med 350, 379-92 (2004)

2.Molina R., Filella X., Augé J.M., Escudero J.M., Clinical Value of Tumor Markers – Current Status and Future Prospects III, Roche Diagnostics, 2011. 

3.Pfister D.G., Johnson D.H., Azzoli C.G. et al, American of Clinical Oncology treatment of unresectable non-small cell lung câncer guideline, update, J Clin Oncol 22, 330-53, 2004.

4.Scagliotti G.V., Parikh P., von Pawel J. et al. Phase III study comparing cisplatin plus gemotabine with cisplatin plus pemetrexed in chemotherapy-naive patients with advanced stage Non-small-cell lung câncer. J Clin Oncol 26, 3543-51, 2008.

Baixe o artigo aqui