Teste Septina 9 para detecção precoce do câncer de cólon em amostras sanguíneas

02.02.2016

A sobrevida do portador de câncer de cólon depende do estágio em que é detectado o tumor, o que torna a detecção precoce fator crucial para o tratamento e a cura.

Apenas 12% da população adulta participam de programas de triagem populacional do câncer. A população de risco médio que deveria participar de programas de triagem de câncer colorretal inclui homens e mulheres a partir de 50 anos que não apresentam sintomas ou se encontram aparentemente sãos e sem outros fatores de risco adicionais.

Se o câncer de cólon é detectado nos primeiros estágios, a taxa de cura é superior a 90%.

A análise é realizada em amostras de sangue periférico e consiste na detecção de forma metilada do gene septina 9 (mSEPT9). O mSEPT9 está presente no sangue em forma de DNA livre, sendo detectado no plasma em mais de 90% dos tumores de cólon, constituindo portanto um novo marcador tumoral. Como consequência, a presença de mSEPT9 no sangue indica a possibilidade de que exista uma neoformação relacionada com câncer de cólon.

A metilação do gene septina 9 é um processo que ocorre no início do desenvolvimento tumoral, de modo que o exame detecta os processos neoplásicos, inclusive em estágios iniciais. 

Janelas do teste Septina 9 

 

A SEPT9 oferece múltiplas janelas frente a outros métodos de triagem atuais de câncer de cólon, tais como os exames de triagem fecal, a sigmoidoscopia e a colonoscopia.

Trata-se de uma análise não invasiva, e não requer preparação prévia nem regulação especial da dieta. O exame apresenta elevada sensibilidade e especificidade, além de detectar todos os tipos de câncer colorretal, independente da sua localização.

O teste Septina9 de segunda geração (Epi proColon 2.0) tem especificidade de 99,3%, sensibilidade de 80,6%, valor preditivo negativo de 99,9% e valor preditivo positivo de 45,7%.

Assim, o mSEPT9 apresenta resultados superiores aos das técnicas atuais de triagem fecal.

Por consequência, trata-se de uma análise facilmente repetida anual ou bianualmente, pois melhora a aceitação do teste por parte do paciente e a adesão aos programas de triagem de câncer de cólon.

Indicações do teste Septina 9

A análise está indicada para:

- População geral, homens e mulheres, sem sintomas, a partir de 50 anos.

- Pessoas que não realizam colonoscopia de rotina, de acordo com as recomendações dos programas de triagem de câncer de colo retal.

Não é aconselhável a análise em mulheres grávidas, pois o mSEPT9 também parece estar implicado no desenvolvimento embrionário normal.

A análise não substitui a colonoscopia, pois esta continua sendo o exame de referência para a identificação do câncer de cólon.

Resultados

Resultado negativo

Não foi identificada a presença de mSEPT9 no plasma do paciente. O paciente é classificado como saudável com uma probabilidade de 99%. Aconselha-se repetir a análise a cada um ou dois anos. 

Resultado positivo

Foi identificada a presença de mSEPT9 no plasma do paciente, por isso é indicado realizar uma colonoscopia. De cada dois pacientes positivos para o teste, um terá patologia tumoral.

Baixe arquivo para impressão aqui